Poema: ovo sem pena

 

 Carlos Vogt

VOGT, Carlos. Poesia reunida. São Paulo: Landy, 2018.

 

Vogt começa sua poesia em 1982 e a para, nesse volume em que a reúne, 25 anos depois, em 2007. Foi uma experiência que atravessou o período de redemocratização do país e os sinais estão lá, indeléveis, mais explícitos no conjunto de Ilhas Brasil. Ressalta no conjunto, porém, a reflexão sobre a linguagem, como no poema “Inconcluso”, que é a marca mais constante nesse percurso. Já mais ao fim, parecendo liberado do peso metafísico da reflexão estética, chama atenção o senso de humor, como em “Vinicius revisitado”, que sinaliza ter alcançado uma leveza saudável consubstanciada na ironia necessária para enfrentar o peso que o país joga sobre a cabeça dos poetas, como no seguinte poema de Pisca-alerta, de 2007:

 

TENTAÇÃO

 

Olha, meu filho,

um dia,

tudo isto

não

será teu!

 

*

 

Poemas de ILHAS BRASIL, 2002

 

ANFITRIÃ

 

Não se decepcione:

a vida o convidará

para outros fracassos

 

 

*

VINÍCIUS REVISITADO

 

O amor dura

enquanto duro.

 

*

CLIMA-TEMPO

 

Humildade relativa do ar:

baixa.

 

*

INCONCLUSO

 

O poema

ovo

sem pena.

 

*

ILHA BRASIL

 

Quando descoberto

no atacado,

o Brasil avulso

já estava nu

com diversidade.

Vestidos pelo descobrimento,

seus habitantes

que aqui viviam,

os que antes vieram,

durante, depois e já

mais

os que nasceram desse intercurso

rasgaram na avenida

a fantasia

da igualdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s